La organización Projeto Hospitais Saudáveis (PHS) de Brasil, punto focal de Salud sin Daño en ese país, participó del seminario sobre el Convenio de Minamata que el Ministerio de Ambiente brasileño organizó en Brasilia los días 24 y 25 de abril de 2014.

En el encuentro, el presidente del Consejo Directivo de PHS, Vital Ribeiro, presentó lainiciativa que llevan adelante Salud sin Daño y la Organización Mundial de la Salud para reducir el uso de insumos médicos con mercurio

A continuación, reproducimos un artículo publicado en el sitio de PHS (en portugués):

“O Projeto Hospitais Saudáveis, representado pelo Presidente do Conselho, Vital Ribeiro, irá apresentar o painel O Projeto Hospitais Saudáveis, uma iniciativa para a redução do mercúrio em equipamentos hospitalares, no “Seminário sobre Mercúrio – Cooperação bilateral Brasil x Suécia”, organizado pelo Ministério do Meio Ambiente nos dias 24 e 25 de abril de 2014, em Brasília.

O mercúrio é uma substância altamente tóxica, persistente no meio ambiente, capaz de se disseminar globalmente por diversas vias de contaminação. O banimento do mercúrio no setor saúde é objeto de campanha mundial, iniciada em 2008 por Saúde Sem Dano e a Organização Mundial da Saúde, que trabalham juntos na Iniciativa Global Saúde Sem Mercúrio. A proposta da campanha é ter uma assistência à saúde livre de mercúrio, apoiando a implantação de alternativas precisas, seguras e viáveis em todo o mundo. No Brasil, essa campanha é conduzida pelo Projeto Hospitais Saudáveis que, desde 2009, já realizou diversos eventos regionais e mobilizou dezenas de unidades de saúde em todo o país, sendo referência nacional para a defesa e discussão do tema.

O Seminário pretende prover uma ampla visão sobre a gestão do mercúrio em produtos, processos industriais, emissões e mineração de ouro artesanal e em pequena escala, compartilhando pontos de vista entre os parceiros brasileiros, governo sueco (Kemi – Agência Sueca de Químicos e EPA – Agência de Proteção Ambiental da Suécia) e representantes do PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente) Químicos. O evento tem como foco a Convenção de Minamata, cujo objetivo é reduzir e controlar as emissões de mercúrio em nível mundial, assim como a produção e o uso deste metal, sobretudo em processos industriais. A convenção prevê que até 2020 os dispositivos de saúde que usam mercúrio sejam totalmente banidos nos países signatários. O intuito do evento é dar assistência ao seu processo de ratificação e implementação e promover a coordenação e cooperação com a Convenção de Estocolmo, Roterdã e Basileia.

Participarão do seminário representantes do governo brasileiro e sueco, associações industriais e ONGs, dentre estas: Ministério do Meio Ambiente, Kemi (Agência Sueca de Químicos), PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente) Químicos, EPA (Agência de Proteção Ambiental Sueca), ABICLOR (Associação Brasileira da Indústria de Álcalis, Cloro e Derivados), Apliquim, Projeto Hospitais Saudáveis, Ministério da Saúde, ABCP (Associação Brasileira de Cimento Portland), Universidade de São Paulo, FIOCRUZ, Universidade de Brasília, OTCA (Organização do Tratado de Cooperação Amazônica) e IBAMA”.